Administradora do aeroporto de Juazeiro quer usar painéis solares para produzir 70% da energia consumida

Aeroporto de Gran Canaria, da espanhola Aena. Foto: Aena

Um projeto bastante ambicioso: produzir 70% de toda a energia consumida por meio de painéis fotovoltaicos. Essa é a proposta do “Plano Fotovoltaico” da espanhola Aena, responsável pelo terminal de Juazeiro do Norte, para os aeroportos administrados pela companhia ao redor do mundo.

A ideia é instalar usinas de energia solar em áreas adjacentes aos terminais. A produção será destinada ao consumo das estruturas. O investimento também segue a linha de ambição: 230 milhões de euros  – ou R$ 1,06 bilhão em valores convertidos.  A economia futura gira em aproximadamente 60 milhões de euros (R$ 276,6 milhões).

“A Aena confirma seu compromisso com o meio ambiente e, para isso, dentro de sua estratégia contra as mudanças climáticas, trabalha implementando medidas de eficiência energética que permitem reduzir o consumo e as emissões de eletricidade, aumentando a autossuficiência energética de suas instalações a partir de fontes renováveis, como é seu ambicioso plano fotovoltaico”, destaca a empresa.

Ainda não estão definidos quais aeroportos receberão os aportes. Espera-se, contudo, que o bloco formado por Recife, João Pessoa, Aracaju, Maceió, Campina Grande e Juazeiro do Norte esteja na lista dos contemplados com o megaplano.

Perfil da Aena

A Aena administra os aeroportos de Madri, Barcelona, Las Palmas, Valência, Gran Canaria, entre outras cidades da Espanha. Também é responsável por aeroportos na Jamaica, Reino Unido e Colômbia.

Fonte: Focus.jor