Amazonas mira ser potência em energia solar

Na capital, mais de 300 residências e empresas já contam com o sistema de energia renovável e integrado com a tradicional matriz que é distribuída pela Amazonas Energia.

O 2º seminário de Energia Solar foi realizado no último dia 31 (Foto: Divulgação)

O 2º seminário de Energia Solar Fotovoltaica do Estado do Amazonas, realizado pelo Sebrae, no último dia 31, no Hotel Intercity Manaus, contou com a presença de mais de 200 pessoas que debateram os rumos do setor energético, a partir das perspectivas da sustentabilidade ambiental, econômica e social.

“Nós nos mobilizamos para atender um público empreendedor, que acredita e investe na energia fotovoltaica, que tem tudo para virar a página energética da região”, disse a diretora técnica do Sebrae, Adrianne Gonçalves.

Na avaliação do diretor do Centro de Desenvolvimento Energético Amazônico da Universidade Federal do Amazonas (CDEAM-Ufam), Rubem Cesar Rodrigues Souza, o seminário do Sebrae na área, foi realizado em um momento importante, porque as informações repassadas ao grande público, especialmente os empresários, ajudam a tender como funciona todo o sistema energético, especialmente, as matrizes renováveis, dentre elas, a fotovoltaica, uma tendência mundial de sustentabilidade ambiental.

“Existe muitas oportunidades de negócios no setor; e as pessoas precisam entender que a energia solar não é uma onda, mas uma realidade que veio para ficar”, destacou.

Os bancos, por sua vez, estão dispostos a financiar o setor, oferecendo linhas de crédito. Segundo o superintendente do Banco da Amazônia no Amazonas e Roraima, André Luiz Vargas, a instituição tem R$ 1,7 bilhão para investir no Amazonas.

“Temos condições de atende a demanda e os nossos juros são os mais baixos do mercado. Estamos abertos para receber os empresários empreendedores, para fortalecer o mercado de energias renováveis”, disse.

Atento ao momento comercial do setor, o empresário Álvaro Mutz, da Sol Norte, está com cinco projetos de instalação de energia fotovoltaica em quatro residências e uma empresa, que ultrapassam R$ 180 mil.

“Gostei que o Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Basa, tem linhas de crédito com juros baixos, para oferecer aos meus clientes; vou repassar essas informações para que eles procurem financiar seus investimentos na energia fotovoltaica”, salientou.

Investimento

Uma casa que tenha uma conta de luz em torno de R$ 500 e que instala um sistema de energia solar completo vai gastar cerca de R$ 18 mil.

O investidor terá retorno do dinheiro investido em quatro anos e meio. A vantagem: é que o sistema tem vida útil de 25 anos e permite créditos energéticos, pela energia excedente lançada na rede.

Fonte: D24am