Ana Nery implanta maior usina de energia solar em hospital do Brasil

Sistema de energia limpa e renovável gerará economia, pois irá reduzir em 25% o valor das contas de luz.

Foto: Lula Helfer

O Hospital Ana Nery (HAN) anunciou na tarde desta quarta-feira, 25, a implantação de uma usina de geração de energia solar. O sistema, que produz energia limpa e renovável, sem causar danos à natureza, é o maior em estrutura hospitalar do Brasil, além de ser uma das maiores microusinas fotovoltaicas do Rio Grande do Sul.

O investimento de R$ 1,2 milhão tem financiamento da Cooperativa de Crédito Sicredi Vale do Rio Pardo e foi projetado pela Solled Energia. O objetivo da usina é reduzir em 25% a conta de energia elétrica do hospital, que gira em torno de R$ 100 mil mensais.

Conforme o diretor Executivo do Ana Nery, Gilberto Gobbi, o hospital não terá impactos nas finanças, pois o financiamento será pago com o dinheiro economizado na conta de luz. Ele também acrescentou que a instituição sempre busca a autossustentabilidade e prima pela conservação do meio ambiente.

A implantação do sistema vai melhorar a estrutura dos telhados da instituição com a cobertura adicional proporcionada pelos painéis solares, que captam a energia do sol para transformá-la em elétrica. “Isso vai favorezer a redução térmica dentro do hospital e, com isso, reduzir o uso dos equipamentos de ar-condicionado”, salientou Gobbi.

O PROJETO

A usina de energia solar do Hospital Ana Nery terá 1.149 módulos de 330 Wp instalados em uma estrutura de 2,3 mil metros, com capacidade de produzir 372,45 kWp de energia. Para que o projeto se tornasse viável, a Solled Energia fez um estudo detalhado, com análise de custo-benefício. Em alguns telhados do hospital, uma estrutura será montada para melhor aproveitamento do sol e para não haver perdas por sombreamento.

Santa Cruz do Sul é referência no Rio Grande do Sul em energia solar, pois conta com o maior número de microusinas fotovoltaicas instaladas no interior do Estado.

FINANCIAMENTO

O Sicredi Vale do Rio Pardo oferece condições de financiamento para aquisição de equipamentos ecoeficientes. O presidente da instituição financeira, Heitor Álvaro Petry, explica que o objetivo é colocar em prática diversas ações sustentáveis, bem como fomentar a utilização de energia solar por meio de uma linha de financiamento acessível, com prazo de até 120 meses. O associado, nesse caso, tem uma parcela mensal muito próxima da atual conta de luz. Até o mês de setembro, a cooperativa havia disponibilizado 38 operações nessa modalidade, o que corresponde a um volume de R$ 4,25 milhões financiados.

Fonte: Gazeta