Associação de Catadores de Santa Terezinha utiliza luz solar para produzir energia

Placas para a geração de energia fotovoltaica, proveniente do sol, foram instaladas com o objetivo contar com uma energia limpa e reduzir custos com a conta de luz.

Exemplo de sustentabilidade, a Associação de Catadores de Recicláveis de Santa Terezinha de Itaipu (ACARESTI) dá mais um importante passo para fazer jus ao reconhecimento adquirido com o passar dos anos. Placas para geração de energia proveniente da luz solar foram instaladas no barracão de 700 metros quadrados da associação, reduzindo gastos com a conta de luz que chega em torno de R$ 1 mil por mês, gerando energia limpa e renovável.

“O sistema que está sendo implantado é um sistema de geração de energia fotovoltaica, onde vai converter a luminosidade que o sol emite em energia elétrica, para que possamos usar no dia a dia de trabalho aqui dentro da ACARESTI. Mais uma vez poupando recursos naturais, garantindo que seja um projeto economicamente sustentável também, pois este sistema garante que nós tenhamos uma redução dos valores empregados na conta de luz. Um custo mensal que hoje estaria girando na casa dos R$ 1 mil, conseguimos suprir somente com a instalação dessas placas”, explica o diretor do Centro de Triagens da ACARESTI, Darlei Sauer de Souza.

Equipamentos para a geração de energia solar não são muito comuns por conta do valor elevado de instalação. Na ACARESTI, os investimentos são de R$ 60 mil, bancados através da parceria com a Itaipu Binacional. Além da economia com a conta de luz, a associação também já economiza há vários anos com água para limpeza do local, através de uma cisterna de 10 mil litros que capta água da chuva.

Apenas uma pequena taxa administrativa deverá ser paga mensalmente à Companhia de Energia do Paraná (Copel). O dinheiro economizado com a conta de luz pode será utilizado na compra de equipamentos de segurança e outros materiais utilizados na ACARESTI. “Esse valor economizado na conta de luz fica disponível no caixa da ACARESTI, podendo adquirir vários produtos usados no dia a dia, desde equipamentos de proteção, luvas, óculos, máscaras, uniformes, ou qualquer outra necessidade que a associação tenha para desenvolver seu trabalho”, finaliza Darlei Sauer.

Fonte: Rádio Cultura Foz