Brasileiros buscam energia solar para fugir dos aumentos tarifários de energia elétrica

Para investir em energia solar, há diversos financiamentos disponíveis no mercado.

As temidas bandeiras tarifárias, criadas pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), surgiram com o objetivo de alertar o consumidor sobre o consumo de energia gerada dentro de sua residência ou comércio. As cores servem para sinalizar o custo real dos quillowatts-hora consumidos e desde agosto o consumidor recebe as contas com classificação: bandeira vermelha, patamar 1, que indica um aumento de R$ 4 para cada 100 quillowatts-hora consumidos.

Mais um aumento para o bolso do cidadão!  Porém, o povo brasileiro começa a buscar alternativas para reduzir seus gastos a todo custo. Uma das soluções encontradas é a energia fotovoltaica ou energia solar. Inicialmente os custos não são baixos, mas o retorno do investimento consegue reverter entre três e cinco anos. Porém, é bom o brasileiro ficar esperto, porque as concessionárias já estão de olho neste negócio e querem reduzir os benefícios da energia fotovoltaica. Até hoje, se seu sistema fotovoltaico gera 50 kW, o consumidor tem desconto de 50 kW. Mas já tramita na Aneel – Agência Nacional de Energia Elétrica – uma resolução normativa n° 482/2012 que sugere mudanças.

Benefícios da energia sustentável

São vários os benefícios que a energia fotovoltaica dispõe: redução de custos tanto para a população como para o governo; geração de empregos locais em torno de 25 a 30 vagas por MW/ano; atração de investimentos externos; geração de eletricidade sem emissão de gases de efeito estufa; aumento da segurança no suprimento de energia elétrica, entre outros.

 “A energia limpa veio para ficar. Hoje grande parte das instalações estão em residências, mas todos os setores, sem exceção, estão em busca de opções renováveis para reduzirem seus custos. Energia fotovoltaica pode ser aplicada no agronegócio (frigoríficos, usinas de açúcar e álcool, etc.), indústrias, hospitais, hotéis, enfim, há uma infinidade de lugares que podem usufruir destes benefícios”, acrescenta Alexandre Borin, gerente da Unidade de Negócios de Energia Fotovoltaica da Fronius.

Para investir em energia solar, há diversos financiamentos disponíveis no mercado tanto para pessoa física como jurídica. De acordo com o levantamento, realizado em fevereiro deste ano, pela Absolar em parceria com a consultoria Clean Energy Latin America (CELA), as opções oferecidas no mercado são muito diversificadas, com 70 produtos de crédito de 26 instituições financeiras distintas, tanto públicas quanto privadas. Há linhas de financiamento disponíveis para empresas (PJ) e cidadãos (PF) que buscam reduzir seus gastos com energia elétrica por meio da energia solar fotovoltaica.

Fonte: Paraíba Total