Capacidade fotovoltaica do Brasil supera 2,5 GW

Com cerca de 2.056 MW de capacidade instalada operacional de grande escala PV e mais de 500 MW de capacidade instalada de geração distribuída, o Brasil já ultrapassou o Chile para se tornar o segundo maior mercado solar da América Latina após o México. De acordo com as novas estatísticas divulgadas pela associação industrial brasileira ABSOLAR, a energia solar em escala de serviços públicos responde atualmente por cerca de 1,2% da capacidade total de geração do país.

O Brasil se tornou o segundo maior mercado fotovoltaico da América Latina, de acordo com novos dados divulgados pela associação solar brasileira ABSOLAR, com base em dados da agência reguladora de energia ANEEL.

Em um breve relatório, o órgão de comércio revela que até o final de fevereiro, havia 73 usinas fotovoltaicas em escala pública em operação em todo o país, com 2.056 MW de capacidade conectados ao sistema nacional de energia. Os estados brasileiros com maior participação nessa capacidade são Bahia, Minas Gerais e Piauí, com 650,2 MW, 515,0 MW e 270,0 MW, respectivamente.

Essas usinas –  todas selecionadas pelo governo brasileiro em três leilões de energia realizados entre 2014 e 2015  – representam atualmente cerca de 1,2% da capacidade total de geração de energia centralizada do Brasil. A ABSOLAR também destacou como o PV de grande escala já ultrapassou a energia nuclear, que tem uma capacidade total de 1,9 GW, tornando-se a sétima maior fonte de eletricidade do país.

Os 2,05 GW reportados pela ABSOLAR – mais os 500 MW de capacidade solar de geração distribuída reportados no final de dezembro  – elevam a capacidade operacional acumulada do Brasil para mais de 2,55 GW. A maior parte – cerca de 371,9 MW – é nova capacidade de geração distribuída somente a partir de 2018.

O Brasil está atualmente apoiando o PV em escala de utilidade pública por meio de leilões de energia. Também está apoiando a geração distribuída de energia fotovoltaica, que inclui todas as instalações solares de até 5 MW de tamanho, através de medição líquida.

Com energia solar em escala pública, o Ministério de Energia e Minas (MEM) anunciou recentemente  a inclusão da energia solar no Leilão A-4 para a compra de eletricidade de novas usinas previstas para 27 de junho de 2019 , enquanto para geração distribuída o marco regulatório pode agora ser revisado pelo governo.

Fonte: Click Petróleo