Células solares orgânicas de cientistas chineses batem recorde de eficiência

Investigadores da Universidade Nankai, do município chinês de Tianjin, estabeleceram um novo recorde na eficiência da conversão de luz solar para eletricidade, através de células solares orgânicas, um novo avanço na difusão dos painéis solares.

A equipe alcançou uma eficiência na conversão energética de 17,3%, a mais alta registada por uma célula solar orgânica, segundo um estudo publicado na revista Science.

A investigação, dirigida pelo cientista chinês Chen Yongsheng, provou que as células fotovoltaicas orgânicas têm o potencial de alcançar um nível de conversão energética similar ao dos painéis solares tradicionais de silício.

“As células solares orgânicas são mais baratas e fáceis de fabricar do que os painéis de silício, mas o seu uso foi limitado até à data porque eram menos eficientes na conversão de luz solar em eletricidade”, afirmou Chen, citado pela Science.

“Os materiais destas células tendem a ter um raio limitado de absorção da luz solar”, acrescentou.

A equipe chinesa usou células em tandem (montadas longitudinalmente), colocadas junto a diferentes capas de materiais orgânicos, para resolver aquela limitação.

“Diferentes capas de células em tandem podem absorver diferentes longitudes de ondas de luz. Isto quer dizer que se pode usar a luz solar de forma mais eficiente e obter uma taxa de conversão energética mais alta”, explicou Chen.

As células fotovoltaicas orgânicas produzem-se a partir de materiais baseados em carbono, com uma flexibilidade que permite a instalação em superfícies acidentadas.

Fonte: RTP