Construtora aplica R$ 300 mi e aposta em energia solar e sustentabilidade no Estado

Projeto arquitetônico da MRV que lança 10 empreendimentos com “pegada verde” e 2,9 mil unidades habitacionais para faixa 2 do Minha Casa Minha Vida

A construtora MRV anunciou o investimento de R$ 300 milhões em Mato Grosso este ano. Ao todo, serão 10 empreendimentos com alto índice de sustentabilidade e economia financeira com a chamada “pegada verde”. O montante será aplicado na construção de 2,9 mil unidades habitacionais. A expectativa é de gerar 1,2 mil novos empregos diretos e 3,8 mil indiretos.

Em julho, a construtora dá início ao primeiro condomínio do Centro-Oeste, destinado à faixa 2 do programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), com um sistema de produção energética fotovoltaica – energia solar – que será utilizado para suprir os gastos das áreas comuns do condomínio. A estimativa é que o sistema reduza em até 30% o custo da energia sobre a taxa condominial.

A faixa 2 do programa MCMV contempla famílias com renda bruta de até R$ 4 mil, com subsídios de até R$ 27,5 mil e juros que variam entre 5,5% e 7%. Os imóveis nesta linha de financiamento podem custar até R$ 225 mil.

O gestor comercial da MRV, Tacílio Cantarutti, explica que investir em sustentabilidade é fator preponderante para a construtora que entregará o condomínio Parque Chapada das Oliveiras entre 18 e 20 meses, sendo este o primeiro empreendimento da chamada Linha Bio. O condomínio contará com cinco torres, 296 apartamentos e investimento de R$ 35 milhões, sendo que cada apartamento sairá a R$ 165 mil.

“A Linha Bio apresenta um padrão mais elevado de conforto e bem-estar, estrutura sólida e arquitetura elegante, sem perder a característica da economicidade, além de acabamento diferenciado, sendo ideal para quem já pode dar um passo maior em direção ao sonho da casa própria”, explica Cantarutti.

De acordo com Tacílio, a perspectiva é de que em todo o país a MRV invista cerca de R$ 10 bilhões em novos empreendimentos, sendo que cerca de R$ 800 milhões serão destinados à produção de energia solar nos condomínios já nos próximos cinco anos.

O engenheiro Antônio Caio Ribeiro, gestor de obras da construtora, explica que a tecnologia das placas de energia solar tem garantia de 20 anos, e só no Parque Chapada das Oliveiras custou o investimento superior a R$ 1 milhão. “É um investimento que não onera o cliente e sim o favorece, porque terá a economia na taxa condominial em relação ao custo da energia do condomínio”.

Fonte: RD News