Energia eólica se torna fonte de renda extra para famílias no Sul do RS

Estado é o quarto em produção de energia eólica no país, atrás apenas da Bahia, Ceará e Rio Grande do Norte. Maior parte dos parques fica em Santa Vitória do Palmar, onde 150 produtores investiram na geração de energia elétrica pelo vento.

Moinhos ficam em meio aos animais nas propriedades rurais de Santa Vitória do Palmar (Foto: Reprodução/RBS TV)

A energia eólica se tornou uma importante fonte de renda para diversas famílias na Região Sul do Rio Grande do Sul. Em Santa Vitória do Palmar, onde se concentra a maior parte dos parques eólicos do estado, 150 produtores rurais garantem renda extra com o arrendamento da terra para a colocação dos equipamentos.

“Até agora está sendo ótimo para eles e para nós também, pelo que nos fornece. Melhorou tudo, as estradas, deram bastante ajuda, e até hoje dão”, afirma o produtor rural Thierre Terra.

O Rio Grande do Sul é o quarto estado no país em produção de energia eólica, ficando atrás apenas da Bahia, Ceará e Rio Grande do Norte. Ao todo, são 80 parques, que fazem parte de um plano estratégico de desenvolvimento da Região Sul, criado há três anos.

Os moinhos estão espalhas pelos campos, junto com os animais. A 120 metros do chão, transformam vento em energia elétrica, que vai até uma subestação e depois segue para vários lugares do Brasil. São 371 turbinas distribuídas em 20 mil hectares de terras arrendadas.

“Isso tem uma representatividade muito boa em questão de não poluentes, efeito estufa, uma energia renovável, inesgotável, que neste caso é o vento, certamente uma boa contribuição”, diz o gerente de operação, Hudson de Souza.

Conforme o professor de Gestão Ambiental da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) Maurício da Silva, existe um déficit na geração de energia, principalmente para indústrias. Os parques eólicos são a saída para completar a necessidade do sistema nacional de energia elétrica.

“Ela faz parte da infraestrutura necessária aos investimentos públicos e privados que são parte do processo de desenvolvimento de qualquer região”, afirma.

Até o fim do ano, um novo leilão para a exploração de áreas deve ser feito em Santa Vitória do Palmar. A promessa é de novos empregos e renda extra para quem mora na região.

“Essa expansão da energia limpa vai trazer benefícios em muitas áreas, inclusive tecnologias e outros empreendimentos, atividades ligadas à agropecuária e energia”, assegura o secretário da Fazenda Santa Vitória do Palmar, Vanderlei Pereira.

Fonte: G1