Energia fotovoltaica reduz taxa de condomínio em Vitória

O método adotado por algumas construtoras visa a economizar energia e promove a sustentabilidade.

Foto: Divulgação / Galwan

O cuidado com o meio ambiente tem sido cada vez mais uma preocupação das construtoras da Grande Vitória. Desta forma, a Galwan apostou em um sistema de geração de energia solar fotovoltaico, responsável por gerar energia para atender aos equipamentos e áreas de uso comum dos empreendimentos que constroi.

O diretor-presidente da Galwan S/A, José Luís Galvêas Loureiro, reforçou que Espírito Santo entrou no rol dos estados que deram isenção de ICMS para a energia solar, o que fará com que o retorno do investimento aconteça mais rápido. Além disso, em sua visão a iniciativa promove a sustentabilidade.

“Não é um sistema para aquecer água, é para gerar energia elétrica, repercutindo diretamente na queda do valor da taxa de condomínio. O mais importante é a satisfação dos condôminos”, contou Galvêas.

Segundo o projetista da Adesso Engenharia, João Olívio Rodrigues Franzosi, o mercado de energia solar está em franco crescimento. Com a queda no preço dos módulos fotovoltaicos (placas solares), em torno de 35% em 12 meses, a demanda aumentou em mais de 320% em 2017. A previsão é que em 2018 a procura continue aumentando, chegando a 350% em relação a 2017.

Ele reforça que a iniciativa está sendo bem aceito pelas construtoras. “Alguns prédios já instalaram o sistema de geração fotovoltaica para atender uma pequena parte das cargas elétricas do condomínio. Mas da forma como foi projetado para o Edifício Juan Fernandes, atendendo elevadores e todas as demais cargas elétricas de uso comum, eu desconheço aqui no Estado”, afirmou.

ENERGIA FOTOVOLTAICA

A energia economizada durante o dia é resgatada da rede de distribuição da concessionária, sem custo adicional. Desta forma, relógio (medidor bidirecional) “roda” em uma direção de dia e em outra à noite. No final do mês é feita a leitura do relógio.

A energia é distribuída para atender as cargas do condomínio e o excesso é injetado na rede de distribuição da concessionária (EDP). Além disso, se a geração foi maior do que o consumo é gerado em crédito de energia em kWh que poderá ser utilizado num prazo de até cinco anos. Dentro desse período o crédito poderá ser destinado aos moradores, mediante contrato específico com a concessionária.

EMPREENDIMENTO

O Edifício Juan Fernandes, localizado no Barro Vermelho, em Vitória, é um dos empreendimentos da Galwan que já possuem o sistema de geração de energia solar fotovoltaico.

A energia gerada no empreendimento abastece os equipamentos e áreas de uso comum do empreendimento como elevadores, ar condicionado, iluminação, bombas d´água, portaria e outras.

“Tivemos a preocupação de desenvolver um projeto em harmonia com o Parque Chácara Paraíso, assinado pelo escritório do arquiteto Gregorio Repsold, mantendo o bucolismo do lugar. É um empreendimento elaborado com muito carinho e que ganha mais importância ainda agora em função da sustentabilidade e da economia de energia”, explicou José Luís Galvêas.

Fonte: ES BRASIL