Energia solar é opção para baratear conta de luz em até 95%

Placas solares ou módulos fotovoltaicos podem ser instalados no telhado das residências. (Foto: Jailson Soares/O Dia)

O período do B-R-O-BRÓ está se aproximando e, nestes meses mais quentes, o aumento do consumo de energia elétrica é quase inevitável e faz com que os piauienses busquem alternativas para amenizar o valor da conta. Uma das saídas tem sido investir na instalação de módulos fotovoltaicos, que transformam luz solar em energia elétrica, barateando a tarifa no final do mês.

No Piauí, onde sobra sol e vento, a geração de energia solar ganhou investimentos e está mudando a vida de muita gente, pois traz economia na conta de luz de residências e empresas. As iniciativas para o aproveitamento dos recursos naturais que o Estado possui se multiplicam a cada dia, tanto em Teresina quanto no sertão piauiense, com empresas especializadas em transformar a luz do sol em energia não poluente e inesgotável. 

“Todo mundo pode gerar essa energia solar e está ao alcance de todos”, garante a engenheira civil Ludmilla Car valho, da Estação Solar, com sede na Capital. Teresina, onde há forte radiação, baixa umidade, muitas horas e dias de sol, destaca-se neste cenário e, apesar dos custos para instalação dos módulos fotovoltaicos, a procura por esta tecnologia cresce na Capital à medida que as facilidades de financiamento são colocadas à disposição a juros baixos.

O Banco do Nordeste, por exemplo, dispõe de uma linha de crédito para quem deseja obter o Sistema Solar, seja ela pessoa física ou jurídica. “Não há rendimentos financeiros em aplicações que sejam melhores do que a economia no final do mês na conta de energia elétrica. Energia solar é investimento, não tem como comparar com aplicações em fundos. Com energia solar, a residência ou empresa pode reduzir em até 95% o seu custo na conta de luz no final do mês”, afirma Ludmilla Carvalho, acrescentando que o gasto feito é tirado em cerca de três anos e meio.

E o Piauí tem se destacado nos últimos anos na atração de empreendimentos voltados à geração de energia renovável, a exemplo das eólicas. Agora, o Estado deu um importante passo nesse sentido, com a instalação do Parque Solar Nova Olinda, da Enel Green Power Brasil. A usina está localizada no município de Ribeira do Piauí. A instalação abrange uma área de 690 hectares, com capacidade instalada total de 292 megawatts, energia suficiente para abastecer diariamente uma cidade de 1,2 milhão de pessoas.

Créditos podem ser descontados em outras contas

A engenheira civil Ludmilla Carvalho exemplifica a economia na conta de luz mostrando o gasto de um cliente no final do mês com o consumo de energia elétrica e o que ele passou a pagar após investir na instalação de módulos fotovoltaicos para gerar energia solar. Esse cliente, diz ela, pagava uma conta mensal de R$ 1.500, correspondente ao consumo de 1.474 KW/h. Após aderir ao sistema solar, sua conta reduziu para a taxa mínima da Eletrobras, que é de R$ 157, correspondente apenas a 100 KW/h mais taxa de iluminação pública.

Ludmilla Carvalho explica como funciona o sistema de módulos fotovoltaicos. (Foto: Jailson Soares/O Dia)

“O investimento dessa pessoa foi de R$ 55 a R$ 60 mil, incluindo projeto, instalação e módulos fotovoltaicos para geração de energia solar. Gasto este que o cliente tira em três anos e meio a quatro”, completa. Ainda de acordo com a engenheira civil, quando a pessoa produz energia solar superior ao consumo, gera um crédito em KW/h na conta. E essa reserva acumulada pode ser utilizada em até cinco anos, sem nenhum prejuízo.

Tudo isso depende do direcionamento do sistema, da quantidade de KW/h a ser usado pelo usuário, que pode usar esse crédito em outras unidades consumidoras do mesmo proprietário. “É muito vantajoso, nos dias atuais, investir em energia solar, tendo em vista que, a cada dia, consumir energia elétrica fica mais caro, dependendo das condições climáticas. Apesar dos custos, mesmo assim, é compensável, já que é um sistema de durabilidade de 25 anos ou mais, dependendo dos cuidados com manutenção preventiva no tempo certo, feita geralmente a cada ano”, argumenta Ludmilla Carvalho.

Custo de implantação depende do consumo médio do imóvel

Para ter energia solar em casa, basta procurar uma das empresas especializadas em projetos e instalação de placas de energia solar (módulos fotovoltaicos), apresentar a conta de luz para verificação de quanto é o consumo mensal em KW/h de energia elétrica para que seja feito o estudo. Além das residências, empresas, faculdades e condomínios estão buscando esta tecnologia como alternativa para reduzir a conta de energia elétrica. Os valores são variáveis e dependem muito do consumo médio do imóvel.

As empresas que trabalham na instalação de módulos fotovoltaicos primeiro avaliam o consumo em KW/h para fazer o projeto, de quantas placas são necessárias para geração de energia solar equivalente ao consumo de energia elétrica mensal fornecida, no caso, pela Eletrobras. A partir daí, são calculados os custos de instalação das placas. A engenheira civil Ludmilla Carvalho cita que uma placa gera 42 KW/h, duas placas 84 KW/h e assim por diante. Os custos do projeto, instalação e módulos funcionando depende do número de placas a serem instaladas.

“O cálculo é baseado na conta de luz do cliente, de quanto é o consumo dele em KW/h de energia elétrica por mês, a partir daí fazemos o projeto. Geralmente, os valores variam entre R$ 12 mil, R$ 15 mil ou acima de R$ 60 mil. Uma das vantagens do uso de energia solar é que o consumidor fica livre dos aumentos de tarifa da energia elétrica, porque a energia consumida da rede é a mesma quantidade gerada pelo sistema solar. Ele só paga a taxa mínima em ligação monofásica de 30 KW/h mais a taxa da Cosipa (iluminação pública) ou [a tarifa] trifásica de 100 KW/h mais Cosipa”, esclarece.

A instalação das placas solares, em residências, geralmente é feita no telhado, utilizando, por vezes, o teto de garagem ou no próprio solo. Nos condomínios, o uso de energia solar é mais para abater no consumo de energia da área interna e externa e reduzir o valor da conta de luz no final do mês. À medida que as pessoas vão tomando conhecimento das vantagens em ter uma energia limpa e renovável em casa, dos financiamentos para os projetos na rede bancária, cresce a procura pelo sistema solar.

Fonte: portalodia.com