Energia solar: Financiamento reforçado para geração solar distribuída

De uma forma geral, o potencial estimado de instalação de energia solar em sistemas distribuídos é estimado em 160 GW. Atualmente, há 282 MW instalados da fonte neste modelo de geração.

Em menos de um mês, BNDES e Fundos Constitucionais anunciam linhas incentivadas para pessoas físicas, antigo pleito do setor

Uma das principais barreiras para a ampliação da micro e mini geração distribuição no Brasil, a oferta de financiamento incentivado para pessoas físicas foi fortemente reforçada nos últimos dias. Além do anúncio de repasses do Fundo Clima do BNDES, com condições especiais, para bancos público, realizada na semana passada, há nova oferta dos Fundos Constitucionais.

Nesta semana, o Ministério da Integração Nacional deve detalhar o repasse de recursos destes fundos para bancos regionais que poderão apoiar pessoas físicas na aquisição de sistemas fotovoltaicos, com taxas de 5,43% ao ano e carência de oito anos. Estão disponíveis R$ 3,17 bilhões para repasse para a fonte solar – incluindo geração centralizada – , sendo a maior parte no Nordeste. São R$ 574 milhões no Norte e R$ 50 milhões no Centro-Oeste. No caso do financiamento oferecido pelo BNDES, as taxas variam 4,03% a 4,55% ao ano.

“Será realizado de uma forma auto financiada, o que significa que a própria economia gerada pelo sistema fotovoltaico vai permitir que o consumidor pague as parcelas de seu financiamento sem tirar recursos de seu próprio bolso”, adianta o presidente-executivo da Absolar, Rodrigo Sauaia.

Os recursos aumentam a atratividade da geração distribuída principalmente para consumidores residenciais e de baixa tensão. De uma forma geral, o potencial estimado de instalação de energia solar em sistemas distribuídos é estimado em 160 GW. Atualmente, há 282 MW instalados da fonte neste modelo de geração.

A nova oferta de crédito chega em um momento no qual a Aneel começa a discutir mudanças na regulação que poderão impactar o retorno financeiro do projeto, principalmente no caso de modalidades de mini e microgeração em que os sistemas são instalados fora da unidade consumidora.

Fonte: Click Petróleo