Energia solar fotovoltaica é opção barata e sustentável contra o desperdício de energia elétrica

Associação do setor aponta benefícios da energia fotovoltaica como solução para combater desperdício de eletricidade na indústria.

A cada ano são desperdiçados cerca de 10% de toda a energia gerada no Brasil na média dos segmentos industrial, comercial e residencial. Essa quantia poderia compensar o aumento da demanda nacional por 24 meses ou abastecer os estados do Rio de Janeiro e do Ceará por um ano.

O alerta é da Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia (ABESCO), que também aponta que cerca de 3% do desperdício de energia elétrica foi ocasionado por conta da queda na produção industrial. A explicação parte do atual cenário econômico do País, responsável pelo descompasso entre a estrutura e a procura por produtos.

Segundo o presidente da ABESCO, Alexandre Moana, a ineficiência ocorre quando se utiliza equipamentos que gastam uma quantidade maior de energia, ou que apresentam situação de desperdício. “Um exemplo são as esteiras em linhas de produção. Se estruturadas para comportar mil produtos, a queda na produção por conta da economia atual gera desperdício, pois o equipamento continua sendo utilizado da mesma forma, mas carregando uma quantidade menor de produtos”.

Ainda segundo Moana, 40% da energia elétrica do País é consumida apenas pelo setor industrial, que tem potencial de economia entre 6,2% e 10% da energia elétrica produzida. Já nas residências, onde o desperdício é causado principalmente pelos eletrodomésticos, a ABESCO afirma que é possível economizar até 15% da eletricidade. A energia solar fotovoltaica é sugerida como a melhor solução para combater o desperdício sem gerar impactos no meio ambiente, ao mesmo tempo em que se promove a sustentabilidade por meio da eficiência energética.

“São inúmeros os benefícios da energia fotovoltaica, começando pelo fato de que é praticamente gratuita. Depois que se recupera o investimento inicial, é necessário apenas um gasto mínimo com a manutenção. Tem também a questão do meio ambiente, pois não emite gases poluentes e não gera resíduo”, o presidente da ABESCO explica também que o sistema é flexível, por conta das diversas formas como podem ser montadas as células fotovoltaicas, aumentando a eficiência e se adequando às necessidades e possibilidades da estrutura.

Sobre a ABESCO

Fundada em 1997, a ABESCO é uma entidade civil, sem fins lucrativos, que representa oficialmente o segmento de eficiência energética brasileiro, fomentando e promovendo ações e projetos para o crescimento do mercado energético. A entidade possui atualmente mais de 90 associados e atua para disseminar e promover a eficiência energética, uma atividade técnico-econômica que objetiva proporcionar o melhor consumo de energia e água, com redução de custos operacionais correlatos, minimizar contingenciamentos no suprimento desses insumos e introduzir elementos e instrumentos necessários para o gerenciamento energético e hídrico de empresas ou empreendimentos.

Fonte: Max Press