Energia solar torna ilhas independentes dos combustíveis fósseis

Nações e regiões localizadas em ilhas isoladas das massas continentais estão bastante dependentes de importações em termos energéticos, geralmente recorrendo a produtos derivados de petróleo, com grande impacto ambiental em áreas pequenas. Dependendo dos países, a opção para se tornarem energeticamente independentes pode estar em fontes maremotrizes, eólicas ou, neste caso, solares.

É o caso das Maldivas, que estão a apostar fortemente na energia solar, como forma de acabar com a dependência do país na importação de fuel Diesel, não só em termos energéticos mas também financeiros. É estimado que 12 minutos em cada hora de trabalho de um cidadão das Maldivas seja gasto a produzir o suficiente para comprar combustível. As Maldidas têm apenas 298 quilómetros quadrados acima do nível do mar, mas o arquipélago ocupa uma área de 90 mil quilómetros quadrados. Com pouco vento, baixa profundidade dos bancos de areia e baixa ondulação, o mar é uma base perfeita para a instalação de painéis solares.

A instalação e exploração destes painéis solares é feita pela austríaca Swimsol, que já gere uma produção de 1 MW e planeia instalar mais 3 MW de energia este ano. Cada megawatt produzido poupa 400 mil litros de combustível, ou mais de uma toneladas de emissões de dióxido de carbono neste paraíso tropical.

Fonte: Motor 24