Energia solar traz impacto social nas favelas do Brasil

De acordo com reclamações feitas pelo presidente da Associação de Moradores de Morro de Santa Marta, favela localizada em Botafogo, bairro tradicional de classe média no Rio de Janeiro, os moradores da região afirmam que trabalham apenas para pagar os gastos com a conta de luz elétrica. Os moradores lamentam: a conta de luz é alta até mesmo quando estão fora de casa, viajando.

A Light, distribuidora de eletricidade local, não faz a leitura dos medidores em cada casa, os moradores acreditam que o alto custo da energia na favela é devido às estimativas de consumo. O alto valor da luz e o constante aumento das tarifas cobradas deram destaque para a energia solar, uma fonte energética alternativa, limpa, sustentável e econômica.

Os moradores da favela representam, aproximadamente, um quarto dos 6,6 milhões de habitantes do Rio de Janeiro. A conta de energia elétrica compromete grande parte da renda dos cariocas que moram em comunidades, segundo o presidente da Associação de Moradores de Morro de Santa Marta.

A energia solar foi a solução escolhida para ser implantada e reverter esta situação. Em Santa Marta, 15 instituições públicas receberam sistemas solares que diminuem os custos com energia. Além disso, a Associação de Moradores, uma escola de música, a escola de samba local, 4 creches e igrejas também foram equipadas com sistema de captação de energia solar.

A empresa responsável pelas instalações na favela causou grande impacto social e quer levar estes sistemas de energia solar para mais 30 empresas na região da comunidade de Santa Marta. A empresa busca por financiamentos para a instalação de sistemas solares em outras 14 favelas do Rio de Janeiro, uma forma de divulgar a energia solar.

O maior projeto de instalação de energia solar foi na creche CEPAC, localizada na parte mais baixa e urbanizada de Santa Marta. A creche atende cerca de 150 crianças. O valor da economia gerado através da energia solar foi aplicado em melhorias para a escola, como, por exemplo, aumentar a biblioteca e adquirir novos materiais didáticos.

Na comunidade Santa Marta, 35 pessoas concluíram o curso de instalação de painéis solares e eletricidade, muitos deles já estão trabalhando na área. O setor de energia solar está crescendo e evoluindo rapidamente. De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o Brasil pode fechar o ano com, aproximadamente, 2,5 gigawatts em capacidade instalada de energia solar, o que representa um aumento de 115% em relação a 1,15 gigawatt do final de 2017. O grande potencial de crescimento da energia solar no Brasil tem atraído diversos investimentos e novos consumidores.

O Brasil possui uma grande incidência solar com poucas variações durante o ano. Com a energia solar, permite-se ter a estabilidade que, atualmente, não é possível com o uso de energia elétrica. Para saber mais sobre energia solar, placa solar, painel solar e financiamento para energia solar, acesse o Portal Solar, o maior web site sobre energia solar do Brasil!

Website: https://www.portalsolar.com.br

Fonte: Exame