Energias renováveis fazem parte do dia a dia do campus da Univates

Tecnovates_placasolares_1
Hoje, a Univates é a terceira maior usina solar do Brasil e a maior entre universidades

A Univates assumiu há alguns anos duas grandes áreas de concentração de esforços na pesquisa, desenvolvimento e transferência tecnológica: ambiente e alimentos. Com ações inovadoras e pioneiras no Brasil, a Univates tem dirigido esforços a iniciativas que contribuam para um futuro mais sustentável. Uma das principais ações nesse sentido foi a construção da Usina Solar no Parque Científico e Tecnológico do Vale do Taquari (Tecnovates). Hoje, a Univates é a terceira maior usina solar do Brasil e a maior entre universidades. Em breve, será a primeira instituição do Brasil a utilizar sistema híbrido de geração de energia: durante o dia captando energia solar e à noite gerando energia a partir de biometano.

O projeto iniciou em 2012 com o estudo das possibilidades para gerar energia. Com a construção da Usina Solar, todo o parque do Tecnovates tem sua demanda energética suprida por meio da energia solar. Em períodos de muita incidência solar, inclusive, a Univates tem repassado à concessionária a energia sobressalente que é produzida. Mas, como sabemos, o campus tem sua vida ativa de fato à noite, no período das aulas. E a energia solar não pode ser estocada (o investimento para armazenar a energia não tem um bom custo benefício). Por isso, um grande projeto de utilização de sistema híbrido de energia renovável está perto de se tornar realidade.

O próximo passo é a utilização de energia gerada a partir do biometano. O projeto está pronto, só aguardando o fornecimento de um gerador, que deve ser entregue em 2016, em parceria com a Companhia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul (SulGás). Com o gerador, será possível, no turno da noite, quando o abastecimento com a energia solar acaba, utilizar o gás gerado a partir de dejetos orgânicos para suprir a necessidade energética de todo o Tecnovates. E não para por aí. O subproduto dessa energia gerada será utilizado para aquecer as piscinas do Complexo Esportivo da Univates, que atende alunos com aulas de natação e comunidade em geral com tratamentos de hidroterapia.

Tecnovates_Energia_Solar_2

Hoje, a energia renovável é prioridade para a Univates. Segundo o pró-reitor Administrativo da Instituição, Oto Roberto Moerschbaecher, este é o compromisso de uma universidade: fazer com que as tecnologias e os serviços sejam pesquisados e experimentados para que, depois, sejam utilizados pela sociedade. ‘São anos de pesquisas, estudo de mercado, negociação com fornecedores, investimentos de recursos humanos e financeiros para sermos fonte de energia renovável. O retorno financeiro pode ser em médio prazo, mas a certeza de abrir caminhos para um país mais sustentável e enraizando nos jovens a cultura da sustentabilidade traz retorno imediato e inestimável’, ressalta Moerschbaecher.

Fonte: Folha do Mate