Estado aposta no sol para crescimento da oferta de energia local

O público-alvo do programa é formado por empresas industriais e comerciais, prestadores de serviços, produtores rurais, associações, cooperativas e residências (pessoa física).

A Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (SDEC) reuniu representantes da Celpe e de empresas de geração de energia solar em Pernambuco para avaliar e discutir sobre o andamento da nova fase do Programa PE Solar.

Nessa fase, o programa incentiva a implantação de pequenas usinas de geração de energia por consumidores empresariais e também residenciais. A reunião aconteceu na sede da SDEC e foi presidida pelo secretário Antonio Mario de Abreu Pinto.

A primeira fase do PE Solar foi lançada em maio de 2015 para empresas, enquanto a sua expansão foi anunciada em setembro último. Aderindo a ele, o consumidor pode passar a gerar a sua própria energia através de placas solares, obtendo significativa economia na conta da Celpe.

Para aderir ao programa, o consumidor deve contratar os serviços de uma empresa credenciada pelo Governo de Pernambuco e pela Celpe e que vai desenvolver o projeto com o orçamento necessário.

Durante a reunião, o secretário executivo de Energia, Luiz Cardoso Ayres Filho, e os representantes da Celpe, André Vianna e Érica Ferreira, passaram informações para os integrantes das empresas de energia e tiraram dúvidas sobre os procedimentos que elas devem adotar para viabilizar seus projetos com mais agilidade.

O secretário Antonio Mario disse que nesse momento é importante focar na energia solar e eólica, incentivando a micro e a minigeração.

“Acreditamos que o PE Solar vai dar um impulso na produção de energia. Temos focado muito nesse assunto, porque existe dificuldade na oferta de mais energia aqui na região. Por isso, o Governo de Pernambuco está trabalhando para incentivar também a produção solar”, explicou.

Fonte: Blog de Jamildo