Eusébio. Você vai gerar a energia que consome

Economia: A primeira microrrede inteligente em escala real do Brasil será inaugurada pela Enel, no início de 2018, em um condomínio residencial, no Eusébio.

PARA O POVO Nilo Rodrigues, especialista em Pesquisa e Desenvolvimento da Enel, diz que consumidor terá papel ativo no sistema elétrico MARIANA PARENTE/ESPECIAL

Em um futuro próximo, talvez daqui a quatro anos, o setor de energia elétrica deve iniciar um grande avanço tecnológico. O princípio é gerar a própria energia, armazená-la e ainda ter a gestão dela até a partir de um smartphone para usá-la quando quiser.

Partindo na frente a Enel, distribuidora de energia elétrica do Ceará, inaugura, no início do próximo ano, a primeira microrrede inteligente em escala real do Brasil em um condomínio residencial, no Eusébio.

Trata-se de um projeto piloto que promete antecipar diversas tecnologias inteligentes e transformar a relação de consumo com clientes residenciais através do uso de geração própria de energia (solar e eólica), gestão da energia através de aplicativos móveis e garantia de uma maior autonomia e resiliência com o uso de baterias para armazenamento de energia. No futuro, a Enel Soluções, empresa do Grupo Enel, pretende oferecer a microrrede inteligente para uso no segmento residencial, comercial e industrial. O especialista em Pesquisa e Desenvolvimento, Nilo Rodrigues, e o analista de Geração Distribuída, Saulo Martins, ambos da Enel Ceará, explicam que o sistema de microrrede integrada tornará o consumidor um agente ativo no sistema elétrico. 

O diretor Institucional da Enel, José Nunes, compara que, em termos de setor elétrico, a microrrede inteligente e as outras inovações vão trazer mudanças propocionais ao que ocorreu no sistema de telefonia com a entrada do celular e smartphone. O presidente da Enel Ceará, Roberto Zanchi, comenta que não se trata mais de um futuro distante e que as novas tecnologias são inevitáveis e um desafio para todas as distribuidoras.

O projeto piloto, financiado pelo programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), beneficia um condomínio de cerca de 300 residências que poderão usufruir dos benefícios da microrrede. Entre eles: geração própria de energia (solar e eólica), consumo de energia mesmo em casos de falta da concessionária, controle e gestão de cargas internas.

Os especialistas da Enel Ceará informam que no mundo existem algumas experiências de microrrede, mas o sistema cearense é o primeiro em escala real do Brasil e um dos poucos da América Latina que utilizam dispositivos de IoT (Internet das Coisas) para permitir um uso mais eficiente da energia.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DO PROJETO PILOTO MICRORREDE INTELIGENTE 

Sistema de armazenamento central com capacidade para suprir cargas do condomínio por no mínimo 60 minutos Kits de armazenamento para residências com capacidade para suprir cargas por mais de 30 minutos 46 kWp(kilo-Watt-pico) de potência instalada de geração fotovoltaica 7 kW (kilowatt) de potência instalada de geração eólica Modernização de medidores e equipamentos da rede elétrica Sistema inteligente de iluminação públicaSistema Inteligente de gerenciamento de energia elétrica Aplicativos móveis para gestão da energia e controle de cargas.

Saiba mais

As microrredes são sistemas de geração e distribuição de energia com a inovação de possibilitarem a integração de diversas soluções inteligentes em energia, como sistema fotovoltaico, sistema eólico, controle de cargas e armazenamento de energia A Enel Soluções e a Enel Distribuição Ceará vêm estudando e desenvolvendo o projeto-piloto das Microrredes, há cerca de três anos O showroom que conta com um protótipo do sistema foi inaugurado no dia 9 de março deste ano, na sede da Enel Distribuição Ceará Em apenas um mês, o projeto-piloto gerou uma economia de 30% na conta de luz do condomínio no Eusébio.

 Potenciais aplicações das Microrredes

– Áreas residenciais – Instituições e universidades – Empresas e indústrias – Hospitais, datacenters, presídios etc – Comunidades isoladas e de difícil acesso – Bases militares – Distribuidoras de energia elétrica – Smart Cities (Cidades Inteligentes)

Fonte: O Povo