Geração de energia fotovoltaica cresce mais de 200% em 2017 em MS

Residências ainda são responsáveis pela maioria da capacidade de geração.

A alta nas tarifas de energia e a redução nos preços dos equipamentos atrairam o interesse à geração de energia elétrica solar fotovoltaica mesmo em um ano considerado de crise. O volume de energia produzida aumentou 202% em 2017, com 1.261 kW de capacidade adicionados com a instalação de 173 centrais geradoras. No ano passado foram 418 kW adicionados por 90 novos sistemas.

Levantamento realizado pelo Midiamax a partir de dados da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), revela Mato Grosso do Sul produz 2.100 kW a partir das 370 unidades ativas que distribuem energia para 401 consumidores. A potência individual de cada sistema varia de 0,5 a 80 kW.

Das 371 centrais geradoras, 81,4% são consumidores residenciais, 13% comerciais, 4,1% rurais e 1,6% industriais. que desde o primeiro sistema implantado no Estado, em 2013.

Em relação à potência de produção, os consumidores residenciais também são responsáveis pela maior quantidade de energia gerada, com 58,3% de toda da capacidade do estado. O comércio aparece em seguida com 31,7%, o setor rural contribui em 9% e a indústria com apenas 1,1%.

Em estudo semelhante, realizado pela Absolar (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), no Brasil percebe-se um cenário semelhante. Consumidores residenciais representam 42% da potência instalada. Em seguida, o setor de comércio e serviços representa 39% da capacidade instalada. Consumidores residenciais representam 9% e, finalmente, o setor rural e poder público com 5% cada um.

Motivos para investir

Conforme publicado pela Absolar, o presidente-executivo da entidade, Rodrigo Sauaia, acredita que a redução de mais de 75% no preço da energia fotovoltaica nos últimos 10 anos e o aumento de mais de 50% nas tarifas de energia nos últimos anos motivou os consumidores a realizarem o investimento.

Além disso, Sauaia afirma que há um aumento no protagonismo, na consciência e da responsabilidade socioambiental dos consumidores, o que fomenta a demanda pela geração fotovoltaica.

Fonte: midiamax