Nova edição da Conferência Internacional de Energias Inteligentes ocorrerá em agosto de 2018

Evento aconteceu em Curitiba na última semana.

Foto: Marco Antonio Tavares

Com a participação de um público de cerca de 2 mil pessoas nos três dias de evento, terminou no último dia 20, no Centro de Exposições Horácio Sabino Coimbra da Fiep, em Curitiba, a 4ª edição da Conferência Internacional de Energias Inteligentes – Smart Energy CIEI&EXPO 2017. O evento já tem mês definido para a próxima edição: será em agosto de 2018.

A conferência e exposição contou com a participação de empresários e fabricantes do setor, gestores públicos, membros de agências e entidades governamentais, professores, pesquisadores e alunos que discutiram o presente e o futuro das energias renováveis. “Tivemos um retorno impressionante sobre as palestras, que foram de altíssimo nível. A participação do público nos painéis, com perguntas interessantes, foi muito importante e relevante”, destaca Reginaldo Souza, do Tecpar, um dos promotores do evento.

Segundo o diretor superintendente da Paraná Metrologia, entidade organizadora do evento, Celso Kloss, um dos motivos de relevância e de audiência do evento, é por conta das novas necessidades da sociedade, como é o caso da geração distribuída, da qual a própria população faz parte da geração de energia elétrica e pode receber pelo que gerou. “Antigamente, tínhamos aqueles computadores enormes e poucos tinham acesso. Hoje, todos temos um smartphone, um minicomputador em nosso bolso. Na geração distribuída será assim também. Atualmente, poucos ainda contam com algum sistema, como o fotovoltaico, em suas residências. Mas, você ainda vai ter um em sua casa”, comparou Celso Kloss.

Na indústria, os avanços desses sistemas de energias já são uma realidade. Mas, de acordo com os palestrantes, para um uso mais eficiente da energia elétrica é preciso ir além da substituição de lâmpadas e fazer diagnóstico, medição e verificação do gasto energético de equipamentos, mesmo que isso acabe gerando um medo de comprometer o fluxo de caixa da empresa. “Muitos empresários não aplicam a eficiência energética, pois acham que precisam fazer investimentos para alterar todo o parque fabril. No entanto, pode-se começar aos poucos, primeiro aplicando em alguns equipamentos ou setores, testando, comprovando a redução de custos e depois ir seguindo para outros setores. É preciso dar o primeiro passo”, afirmou Rodrigo Augusto Neves, do Centro de Negócios de Eficiência Energética da WEG.

Outro assunto bastante abordado foi a energia solar, com exposição de novidades e soluções tanto para consumidores quanto para profissinais. Novos painéis solares com tecnologias de captação mais avançadas, dispositivos e softwares para gestão de consumo estiveram entre os produtos apresentados. Os diversos lançamentos refletem o aquecimento do setor e o aumento das vendas nas empresas. Na SSM Metálicas Solar, fabricante de estruturas metálicas para painéis solares, o aumento das vendas desde janeiro já foi de 30%. Na Embrastec, fabricante de DPS (Dispositivos contra Surtos) para sistemas fotovoltaicos, o crescimento das vendas deve atingir 50% até o final do ano. Na Premium Solar, revendedora de equipamentos e painéis para sistemas fotovoltaicos, o aumento foi ainda maior. “Desde janeiro, tivemos um aumento de 50% nas vendas e esperamos atingir 75% até final do ano”, comentou Gerson Max, coordenador de vendas da empresa.

Premiação

Durante o evento, o secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes, recebeu da organização do projeto Smart Energy o prêmio Personalidade, Energia e Sustentabilidade. O reconhecimento foi entregue pelo seu apoio aos projetos de energias renováveis no Paraná. “Esse prêmio é um carinho muito grande que recebo e agradeço, mas o trabalho pelo desenvolvimento das energias renováveis é mérito da equipe do Projeto Smart Energy, eu, como secretário, apenas faço o meu trabalho em apoiar, pois, sem dúvida alguma, as energias renováveis são muito importantes para o Paraná e para o Brasil. Elas fazem parte da política de governo do Estado e precisamos de projetos e eventos como este, que agregam conhecimento, especialistas e entidades”, afirmou João Carlos Gomes.

Fonte: Paran@shop