O dia em que a energia eólica se tornou mais barata do que a nuclear

A aposta na produção de eletricidade em turbinas offshore permitiu que o Reino Unido quebrasse uma barreira simbólica.

O mais recente leilão de energia no Reino Unido trouxe uma alteração histórica no equilíbrio de forças de duas das mais importantes fontes energéticas renováveis.

Como explica a City AM, o Estado britânico fechou uma ronda de financiamento a novos projetos eólicos com produção prevista para 2022 e 2023 e o preço por megawatt/hora de eletricidade é o mais baixo de sempre: cerca de 64 euros, um valor mais baixo do que o custo da mesma quantidade de energia nos novos projetos nucleares e uma queda de 50% face ao preço da energia eólica no leilão inicial de 2015. 

Além do custo de produção mais baixo, os projetos vão significar um investimento total de 19,4 mil milhões de euros e serão responsáveis pela criação de “milhares de novos empregos em empresas britânicas”, segundo a garantia do ministro da energia e da indústria, Richard Harrington.

A instalação de turbinas em plataformas offshore (no mar, longe da costa) permite a produção de mais eletricidade com o mesmo nível de investimento, e foi crucial para a redução dos custos. Segundo os especialistas, o Reino Unido tem o maior potencial de produção de energia eólica offshore em todo o planeta.