Palmeira terá usina solar financiada pela iniciativa privada — um investimento de US$ 8 milhões

Empresas “alugam” energia produzida na usina e recebem créditos da Copel, reduzindo suas contas em até 25%.

Projeto da usina fotovoltaica de Palmeira-PR.- Foto: FAAD Consultoria/Divulgação

Com pouco menos de 35 mil habitantes, a cidade de Palmeira, próxima a Ponta Grossa, no Paraná, terá a primeira usina fotovoltaica privada do Brasil a operar no modelo de Mini Geração Distribuída. Com a capacidade de gerar energia elétrica a partir da solar, o projeto é resultado de um consórcio entre empresas nacionais e internacionais, tocado pela curitibana FAAD Consultoria. A energia ali gerada será comercializada com empresas e indústrias paranaenses, distribuída pela Copel em regime de compensação.

A licença junto ao Instituto Ambiental do Paraná (IAP), obtida no último dia 3 de abril, permite o início das obras da primeira etapa do projeto: uma usina com capacidade inicial de 7,3 MWp (megawatts-pico, unidade utilizada para caracterizar painéis fotovoltaicos), e que proporciona a geração de 900 MWh, energia suficiente para abastecer o equivalente a oito mil residências. As obras devem começar em 60 dias, quando é esperado que cheguem os equipamentos vindos da empresa parceira alemã, Grass.

Para viabilizar o projeto, a FAAD foi atrás de empresas que estariam interessadas em “alugar” uma parte da energia produzida no Conerge, como foi batizado o empreendimento. A partir daí, reuniu assinaturas em um protocolo de intenção para demonstrar que havia demanda e então começar a busca por terrenos próximos, analisando onde havia necessidade e boas condições climáticas para a instalação do condomínio. Nesse momento, a consultoria também realizou a consulta de acesso junto à Copel, quando a distribuidora informa se é possível construir naquele local, o que é preciso implementar para a conexão, ou seja, estabelece os critérios técnicos.

Fonte: Gazeta do Povo