Presidente do BNDES defende investimento em energia eólica e solar na Paraíba

Presidente do BNDES, Paulo Rabello, no debate com o prefeito Romero Rodrigue e o empresário Dalton Gadelha, no auditório da Unifacisa

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, defendeu nesta segunda-feira (20), em Campina Grande, investimentos em energia eólica (ventos) e solar, na Paraíba, bem como a transposição das águas da bacia do rio Tocantins para o rio São Francisco. Ele proferiu palestra, no teatro da Unifacisa, sobre Desenvolvimento Regional, anunciou que está em gestação um novo programa para os municípios e evitou assumir o discurso de pré-candidato à presidência da República pelo PSC.

Durante entrevista coletiva, Paulo Rabello disse que veio Campina Grande e ficou satisfeito, pois além de ser um polo regional reconhecido há muitos anos, a cidade é também um centro de futuras oportunidades.

“O BNDES quer propiciar a condição de uma aceleração dos investimentos dessa região, em várias das áreas que nós já identificamos como grandes oportunidades futuras. Um destes investimentos, o mais óbvio, é a energia solar. A aqui não falta sol e tem pouco índice de pluviosidade e, ao mesmo tempo, vento, o que pode garantir a energia eólica”, assinalou o presidente do BNDES.

Transposição do Tocantins

Paulo Rabello também projetou a possibilidade de o BNDES financiar um ousado projeto de infraestrutura hídrica. “Nós podemos transformar essa escassez atual em disponibilidade se seguirmos a ideia ousada do ex-deputado Marconde Gadelha, que já pensou a transposição do rio São Francisco anos atrás e agora já está pensando uma nova transposição que seria na bacia do Tocantins. O BNDES como grande banco de infraestrutura poderia ajudar a conceder um projeto dessa envergadura”, assinalou.

Municípios

Na palestra, o presidente ainda anunciou um novo programa de crédito para municípios que está em gestação. “Estamos aperfeiçoando para submeter ao presidente um programa para 2018 que atenderá as municipalidades de pequeno porte. Campina Grande não é de pequeno porte, mas as linhas de crédito estarão disponíveis também para outros níveis e focaremos nos setores de iluminação pública, saneamento, turismo, mobilidade urbana”, avisou Rabello.

Euforia

Lançado pré-candidato a presidente da República pelo PSC, no último final de semana, Paulo Rabello evitou assumir a postulação. Ele disse que o lançamento da postulação por lideranças do partido ocorreu em um momento de euforia.

Debate

O debate, realizado a convite da Unifacisa e da CDL, reuniu autoridades, como o prefeito Romero Rodrigues, o presidente da CDL-CG, Artur Bolinha, o empresário Dalton Gadelha, o deputado Rômulo Gouveia e um público de profissionais e estudantes das áreas de administração, economia, e dos setores de comércio e indústria.

Romero

O prefeito Romero Rodrigues destacou em sua fala as competências do povo campinense, frisando a decência, honestidade e capacidade produtiva, além da vocação para o empreendedorismo. Ele lembrou que essa vocação de Campina precisa de fato de instituições como BNDES para impulsionar ainda mais esse cenário de desenvolvimento.

“Em 2013 adquirimos uma área de 800 hectares e lá estamos construindo 4.100 casas com toda infraestrutura de equipamentos sociais, com aquecimento solar priorizando fonte alternativa sustentável de energia e 75 ruas pavimentadas. É uma nova cidade dentro de Campina Grande. Ao lado temos 700 hectares para o setor industrial. Apostamos nesse modelo para impulsionar nosso desenvolvimento”, informou, concluiu Romero.

Fonte: Jornal da Paraíba