Programa de financiamento fomenta energia solar para pequenos negócios

Energia solar é renovável e ajuda empresas a reduzir custos. Investimento ainda é alto

O Sebrae, o Banco do Brasil e a WEG lançam, na próxima quinta (26), o programa de Financiamento de Energia Solar para pequenos negócios. A parceria visa estimular a geração de energia fotovoltaica no âmbito da geração distribuída, o PLUZ,

Serão ofertadas consultorias especializadas, acesso à tecnologia de ponta e ao crédito por meio do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO). Para acessar o Programa, a empresa e o produtor rural deverão acessar o Banco do Brasil, realizar o cadastro e fazer uma pré-análise de crédito.

Após aprovação, o Banco do Brasil encaminhará para o Sebrae/MT realizar o atendimento, que consiste em uma consultoria de avaliação técnica e financeira (opcional) do empreendimento e, posteriormente, elaboração dos projetos elétrico e de viabilidade econômico/financeiro (opcional) do sistema fotovoltaico pretendido.

A WEG então encaminha um orçamento para análise de crédito e efetivação do contrato de financiamento junto ao Banco do Brasil. Na sequência, a WEG agenda com o empreendimento o início da instalação do sistema fotovoltaico.

A parceria tem como intuito tornar as empresas e produtores rurais mato-grossenses mais competitivos, visto que o investimento tem 100% de retorno garantido com a economia na conta de luz e a energia solar é uma fonte renovável e sustentável.

O programa também busca estimular o desenvolvimento do mercado local, com a geração de emprego e renda, além de contribuir com o aumento do número de micro e mini usinas fotovoltaicas. Por se tratar de um investimento de médio e grande porte, as empresas e produtores rurais necessitam de apoio de linhas de crédito com condições especiais para que seja possível a execução e a viabilidade do projeto.

Para o Banco do Brasil, a expectativa é que haja um incremento considerável na liberação de recursos durante a vigência do programa. Existem linhas para financiamento, inclusive o FCO, que atualmente possuem as taxas de juros mais atrativas do mercado, com carência e prazo de pagamento que se adequam a necessidade de todos os projetos.

Tomando como exemplo, uma pequena empresa do setor comercial, que consome em média 2.000 kWh por mês, seria necessário um investimento na ordem de R$ 86,8 mil com pay-back de 5 anos para o retorno do investimento e 95% de economia na conta de luz.

A WEG fará o fornecimento dos equipamentos e gerenciamento da instalação. “A conta de luz tem um impacto significativo nos custos de uma empresa e a economia gerada através dessa mudança de matriz energética pode impulsionar os negócios”, diz João Paulo Gualberto da Silva, diretor de Novas Energias da WEG.

Para o Sebrae, a intenção é dar oportunidade para que as empresas e produtores rurais sejam cada vez mais sustentáveis e mais competitivos, propiciando o acesso à tecnologia de ponta com condições mais favoráveis de mercado.

Fonte: RD News