Rio Grande inaugura sistema de captação de energia solar em duas escolas

Município projeta implantação de uma Usina Municipal para reduzir custos da rede de ensino.

A geração de energia solar é uma alternativa para reduzir os gastos e o impacto do homem no ambiente. Com esses objetivos, a prefeitura do Rio Grande, no sul do Estado, inaugurou dois sistemas de captação de energia solar em duas escolas municipais.

As escolas Débora Thomé Sayão, de Educação Infantil, localizada no Parque Urbano do Bolaxa, próximo ao balneário Cassino, e Eliézer de Carvalho Rios, de Ensino Fundamental, que fica no balneário, são os primeiros prédios públicos da cidade a contar com esse tipo de geração de energia. Um projeto para financiamento da implantação de uma usina também já foi apresentado.

Nos dois locais, a comunidade escolar esteve reunida para celebrar o inicio das aulas e também de um trabalho inovador, que, além de contribuir para o desenvolvimento sustentável do município, proporcionará uma economia significativa aos cofres públicos.

O investimento, de R$ 60,6 mil na Débora Sayão e de R$ 29,9 mil na Eliézer Rios, surgiu de medidas compensatórias aplicadas à empresas que causaram danos ambientais em Rio Grande e são resultado de uma parceria entre a prefeitura e o Ministério Público Estadual, por meio do Promotor José Alexandre Zachia Alan.

Segundo o secretário de de Educação, André Lemes, com a instalação de placas fotovoltaicas nas escolas, o município passará de consumidor para produtor de energia.

– De acordo com as nossas estimativas, ao longo de 12 meses teremos energia suficiente não apenas para zerar a fatura da CEEE, mas para gerarmos crédito com eles devido a nossa produção – salientou.

Outro ponto destacado é a oportunidade de trabalhar a questão da consciência ecológica com os alunos e servir de exemplo para outros municípios.

Segundo Alex Chagas, diretor-presidente da Inove Energias Renováveis, empresa responsável pela execução do projeto, os módulos fotovoltaicos foram instalados de acordo com os tamanhos e as médias de consumo de cada escola, sendo 11 na Eliézer de Carvalho Rios e 30 na Débora Sayão.

Usina Municipal de Energia Solar

Na última semana, foi entregue ao Banco do Brasil a proposta de financiamento de um projeto para implantação de uma Usina Municipal de Energia Solar Fotovoltaica. O projeto propõe a instalação de uma usina com potência de sistema de 816 kWp e produção estimada de 90.000 kWh/mês, em uma área de 1 hectare. O investimento será de R$ 4,9 milhões. A ideia é que o sistema abranja todas as escolas da rede municipal de ensino, gerando uma economia de R$ 600 mil por ano.

Fonte: GauchaZH