Trina Solar fornece módulos para o maior projeto privado de FV do Vietnã, ao mesmo tempo em que demanda dispara em mercados emergentes

Em 31 de julho, a Trina Solar Limited (“Trina Solar” ou a “empresa”) anunciou que a fabricante de fotovoltaicos (FV) está fornecendo 258 MW de módulos de PERC monocristalino de vidro duplo para o maior projeto privado de energia solar fotovoltaica (FV) do Vietnã. A usina, situada em Phan Rang-Thap Cham, capital da província de Ninh Thuan, recebeu investimentos da importante firma vietnamita de investimentos –Trung Nam Group. A construção deverá ser concluída em 30 de junho de 2019.

A usina, respaldada por um investimento totalizando aproximadamente US$ 220milhões, cobre 264 hectares. Com uma enorme demanda por produtos FV, a unidade é a primeira planta combinada de geração de energia solar e eólica do Vietnã e deve desempenhar um papel importante na transformação do país rumo à energia renovável. Como uma fornecedora de módulos, a Trina Solar diferencia-se de seus pares por seus produtos de reconhecida qualidade, capacidade da cadeia de fornecimento e competitividade nuclear no mercado da Ásia-Pacífico (APAC).

Durante a cerimônia de assinatura, um executivo do Trung Nam Group disse: “Dado que é o primeiro investimento do grupo em usina de FV, o Trung Nam foi muito cuidadoso na escolha de um líder em tecnologias, produtos e matérias-primas como seu parceiro fornecedor”.

Yin Rongfang, vice-presidente e diretor de vendas globais e marketing da Trina Solar, disse: “Estamos honrados com a sociedade com o Trung Nam no projeto integrado de geração de energia renovável, que estabelece novas referências para o setor no Vietnã, marcando mais um passo nos esforços da Trina Solar em mercados emergentes. Com um profundo entendimento do mercado vietnamita, nós construímos uma unidade de produção de células de energia solar de 1 GW no país, além dos diversos projetos em desenvolvimento”.

Ele acrescentou que os produtos com a marca da Trina Solar se tornarão cada vez mais disponíveis no Vietnã, ajudando a impulsionar as vendas da empresa na região da APAC.

O Sr. Yin indicou que, como uma importante fabricante mundial de módulos, a Trina Solar formou uma forte equipe internacional de vendas e operações, com produtos vendidos para mais de 100 países e regiões de todo o mundo. No final de 2017, as entregas acumuladas da empresa totalizavam 32 GW, posicionando-a no primeiro lugar entre as fabricantes mundiais de módulos.

Em 2017, as entregas globais da Trina Solar somaram mais de 9 GW – mais de 60% das quais entregues em locais fora do mercado doméstico da fabricante de FV. O Sr. Yin disse: “Além do crescimento contínuo na Europa, entre outros mercados tradicionais, desde o início do ano que nossos produtos têm ganhado impulso e uma popularidade cada vez maior no Oriente Médio, América Latina e na APAC. Com o sucesso vigente em mercados emergentes, nosso registro de pedidos excedeu em muito as expectativas”. Com a chegada do terceiro trimestre de 2018, os módulos da Trina Solar continuam a vender bem em todo o mundo, enquanto as unidades de produção da empresa situadas fora da Chinaestão operando em sua capacidade total. Visando atender a crescente demanda por seus produtos, a Trina Solar está expandindo sua capacidade de fornecimento.

Embora a demanda interna para instalações terrestres – residenciais e em escala pública – de FV para energia solar tenha diminuído devido às novas políticas governamentais promulgadas em 31 de maio de 2018, como parte de seu plano de desenvolvimento de longo prazo e estratégia de equilibrar seu foco em ambos os mercados, tradicional e emergente, a Trina Solar está reforçando sua capacidade em termos de expansão para mercados externos. Com esses esforços, a empresa tem aperfeiçoado suas capacidades em controle de riscos – o que ajuda a mitigar o impacto das novas políticas e a crescente guerra comercial em diversos mercados onde está presente. Com o objetivo de proporcionar benefício em toda a cadeia de valor, a empresa continua a aproveitar seu potencial de fabricação e desenvolvimento de mercado, especialmente em mercados emergentes, e em toda a cadeia de fornecimento ao exterior, além de melhorar a competitividade global.

Fonte: Exame