Unidade de energia da General Electric luta pelo crescimento à medida que energia solar e eólica crescem

A Vistra Energy e a Dominion Energy – que atendem a cerca de 5,5 milhões de consumidores de energia elétrica em mais de uma dúzia de estados norte-americanos- dizem ter parado de montar termoelétricas de ciclo combinado a gás natural. Em vez disso, elas estão construindo grandes usinas de energia solar, que oferecem eletricidade abundante e barata.

Essa visão pessimista de energia de combustíveis fósseis, reflexo de uma crescente demanda por fontes de energia renováveis, representa um obstáculo para o plano de John Flannery de dar a volta na unidade de energia de 35 bilhões por ano General Eletric.

O presidente-executivo da GE expôs a dificuldade na quarta-feira. Os lucros de energia serão estáveis ??este ano, depois de cair 53 por cento em 2017, e a GE está planejando que a demanda por usinas a gás natural seja menos da metade do que previa há pouco mais de um ano e permanecerá neste nível até 2020.

As vendas de novas fábricas “serão difíceis”, disse Flannery a investidores. “Isso não vai ser uma solução rápida, mas há ativos de longa duração aqui com valor econômico intrínseco. Vamos aproveitar ao máximo o que temos lá.” A longo prazo, Flannery e Russell Stokes, chefe da GE Power, disseram que a demanda por geradores de energia elétrica e gás natural crescerá cerca de 2 por cento ao ano – de acordo com as previsões globais – à medida que as companhias fizerem uma transição gradual para a energia renovável.

Seguindo uma estratégia que expôs em novembro, Flannery está cortando 12 mil empregos e 2,5 bilhões de dólares em custos na unidade. Ele disse que a GE triplicou alguns incentivos de vendas na divisão de energia e está competindo agressivamente por novos contratos para manter as fábricas e receber chamadas quando as companhias precisam de peças ou reparos durante uma interrupção inesperada, algo que a GE perdeu de vista.

Mas alguns analistas e investidores estão céticos sobre as perspectivas de longo prazo de um negócio dedicado às usinas de gás natural e carvão que estão caindo com as companhias. “Isso significa que as empresas terão problemas para vender novas usinas de combustível fóssil”, disse Mark Dyson, diretor do Instituto Rocky Mountain, uma organização que pesquisa a indústria de energia.

As vendas globais de grandes usinas de gás natural caíram pela metade desde 2013, de acordo com a McCoy Power Reports. As usinas movidas a carvão e gás responderam por apenas 38 por cento da nova capacidade de eletricidade financiada globalmente no ano passado, abaixo dos 71 por cento de uma década atrás, segundo dados da Thomson Reuters. As energias solar e eólica agora atraem 53 por cento desse investimento, acima dos 22 por cento, segundo uma análise da Reuters.

(Por Alwyn Scott)
((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644-7509))
REUTERS SI AAP

Fonte: Último Instante