Volkswagen do Brasil é movida a energia elétrica 100% limpa

painel-de-energia-solar
Foto: Divulgação

Como a Volkswagen do Brasil poderia contribuir ainda mais com a sustentabilidade? A empresa apostou no uso de energia elétrica 100% renovável. Ao renegociar seus contratos de compra de energia elétrica, a empresa incluiu uma cláusula que faz toda diferença: 100% da energia fornecida à Volkswagen do Brasil deve ser limpa, de fontes renováveis, neste caso, provenientes de hidrelétricas.

“A decisão de abastecer as fábricas da Volkswagen do Brasil com energia elétrica 100% limpa é uma iniciativa inovadora e que demonstra o compromisso da empresa com a sustentabilidade ambiental. Com essa ação, já registramos um ganho ambiental significativo”, afirmou o diretor de Engenharia de Manufatura da Volkswagen do Brasil, Celso Placeres. Só para imaginar o impacto positivo dos contratos – que acabam de completar seu primeiro aniversário -, é como se a empresa plantasse 166.118 árvores de 2016 a 2018.

E o que é energia elétrica limpa? Um exemplo é quando a produção dessa energia não envolve queima de combustíveis (entre os quais carvão e gás), o que causaria a emissão de gás carbônico (CO2), um dos “responsáveis” pelo Efeito Estufa. Com as hidrelétricas, é assim: a energia é gerada pela pressão da água, que move suas turbinas.

Além de comprar energia elétrica 100% limpa, a Volkswagen do Brasil tem sua própria PCH Anhanguera (Pequena Central Hidrelétrica), localizada no Estado de São Paulo, com capacidade para gerar cerca de 18% da energia consumida pela empresa. A Volkswagen do Brasil é pioneira a investir na geração de energia limpa, entre as montadoras instaladas no País (leia mais, abaixo).

Boas ideias em prol da sustentabilidade

A Volkswagen do Brasil também aposta em diversas ações criativas de uso de energia renovável em suas fábricas. Conheça alguns exemplos:

Elevadores que geram energia: Imagine elevadores capazes de gerar energia elétrica. Sim, eles existem na Volkswagen do Brasil, em áreas produtivas das fábricas Anchieta (em São Bernardo do Campo – SP), Taubaté (SP) e São José dos Pinhais (PR). Para explicar seu funcionamento, vamos pegar um exemplo da Armação (onde é feita a montagem das carrocerias) da Anchieta; nesta área, os elevadores “transportam” a carroceria. Quando o elevador sobe, gasta energia elétrica normalmente; mas quando desce, o sistema transforma essa energia mecânica em energia elétrica, a qual é lançada na rede da fábrica para uso em outros processos.

Rodagem também produz energia: Antes de sair da Montagem Final, os veículos passam pelo teste de rodagem: são acelerados sobre rolos. Nas fábricas Anchieta e de São José dos Pinhais, esse teste é capaz de produzir energia. Como funciona? Os rolos têm um eixo ligado a um motor, que converte a energia mecânica em elétrica, a qual é devolvida à rede da fábrica para uso em outros processos.

Restaurante com aquecimento solar: na fábrica de motores da Volkswagen do Brasil, em São Carlos, o restaurante recebeu painéis solares que geram energia para o boiler (equipamento que ajuda a aquecer a água para ser usada na lavagem de louças). Esse sistema, como um todo, é híbrido, pois usa energia solar junto com aquecimento a gás.

Fonte: Investimentos e Notícias